Portal da Cultura




  Anterior   |   Próximo   |   Voltar ao Índice   |
Visualizando Municípios: 62 total  


 PARINTINS



Símbolos
Hino
Brasão
Bandeira
Aspectos Histricos
O município de Parintins como quase todos os demais municípios brasileiros, foi primitivamente habitado por indígenas. Sua descoberta ocorreu em 1749, quando, descendo o Rio Amazonas, o explorador José Gonçalves da Fonseca notou uma ilha que, por sua extensão, se sobressaía das outras localizadas à direita do grande rio.
A fundação da localidade só foi realizada em 1796, por José Pedro Cordovil, que veio com seus escravos e agregados para se dedicar à pesca do pirarucu e à agricultura, chamando-a Tupinambarana. A rainha D. Maria I deu-lhe a ilha de presente. Ali instalado, fundou uma fazenda de cacau, dedicando-se à cultura desse produto em grande escala. Ao sair dali, algum tempo depois, ofertou a ilha à rainha.
Tupinambarana foi aceita e elevada à Missão Religiosa, em 1803, pelo Capitão – Mor do Pará, Conde dos Arcos, que incumbiu sua direção ao Frei José das Chagas, recebendo a denominação de Vila Nova da Rainha. A eficiente atuação de Frei José provocou um surto de progresso e desenvolvimento na Vila, mediante a organização da comarca do Alto Amazonas.
Em 25.07.1833, passasse a Freguesia, com o nome de Freguesia de Nossa Senhora do Carmo de Tupinambarana.
Era ainda Tupinambarana simples freguesia quando iniciou a revolução dos Cabanos no Pará e se alastrou por toda a província. O seu vigário – Padre Torquato Antônio de Souza, teve atuação destacada durante a sedição servindo de delegado dos legalistas no Baixo Amazonas. Tupinambarana, talvez porque estivesse bem defendida, foi poupada aos ataques dos “Cabanos”.
Em 24.10.1848, pela Lei Provincial do Pará nº 146, elevou a freguesia à categoria de Vila, com a denominação de Vila Bela da Imperatriz, e constituiu o município até então ligado a Maués.
Em 15.10.1852, pela Lei nº 02, é confirmada a criação do município.
Em 14.03.1853, dá-se a instalação do município de Parintins.
Em 24.09.1858 é criada pela Lei Provincial a Comarca, compreendendo os termos judiciários de Vila Bela da Imperatriz e Vila Nova da Conceição.
Em 30.10.1880, pela Lei Provincial nº 499, a sede do município recebe foros de Cidade e passou a denominar-se Parintins.
Em 1881, foi desmembrado do município de Parintins o território que constituiu o município de Vila Nova de Barreirinha.
A divisão administrativa de 1911, figura o município com quatro distritos: Parintins, Paraná de Ramos, Jamundá e Xibuí.
Em 1933, aparece no quadro da divisão administrativa com um distrito apenas – o de Parintins.
Em 01.12.1938 pelo Decreto-Lei Estadual nº 176 é criado o distrito da Ilha das Cotias, passando assim o município a constituir-se de dois distritos: Parintins e Ilha das Cotias.
Em 24.09.1952, pela Lei Estadual nº 226, a comarca de Parintins perde os termos judiciários de Barreirinha e Urucará, que são transformados em comarcas.
Em 19.12.1956, pela Lei Estadual nº 96, é desmembrado do município de Parintins o distrito da Ilha das Cotias, que passa a constituir o município de Nhamundá.
Em 10.12.1981, pela Emenda Constitucional nº 12, o território de Parintins é acrescido do distrito de Mocambo.
Limites
Estado do Pará
Município de Barreirinha
Município de Urucurituba
Município de Nhamundá
Distrito de Mocambo e Parintins
Localizao: 9º Sub-Região - Região do Baixo Amazonas

Altitude: 50 m acima do nível do mar.

rea Territorial: 7.069 Km²

Temperatura Mdia: 26,3 C

Acesso: Via Fluvial

Distncia
Em linha reta entre Parintins e a Capital do Estado, 369 Km.
Por via fluvial entre Parintins e a Capital do Estado, 420 Km.
Atividades Econmicas
Setor Primrio
- Agricultura: junto com a pecuária, completa a formação econômica do setor primário. É representada pelas culturas temporárias: abacaxi, arroz, batata-doce, cana-de-açúcar, feijão, fumo, mandioca, melancia, melão e milho. Culturas permanentes: abacate, banana, cacau café, caju, coco, laranja, limão, pimenta-do-reino e tangerina.
- Pecuária: é atividade de maior peso no setor primário. Compreende principalmente a criação de bovinos, vindo a seguir a criação de suínos. A produção de carne e leite destina-se ao consumo local e à exportação para outros municípios.
- Pesca: desponta como um dos principais entrepostos de pesca no Estado, tanto para o consumo local como exportação para outros municípios.
- Avicultura: está voltada para o criatório em moldes domésticos, sendo representada principalmente pela criação de galinhas, seguida de perus, patos, marrecos e gansos.
- Extrativismo Vegetal: é pouco representativo na formação do setor primário, mas destaca-se a exploração de borracha, cumaru, gomas não elásticas, madeira, óleo de copaíba e puxuri.

Setor Secundrio
- Indústrias: esquadrias metálicas, peças metálicas, gelo, redes e tapetes, beneficiamento de malva, sacos/fios/tela de juta, beneficiamento de arroz, moinho de café, beneficiamento de pau-rosa, estaleiros, serrarias, olarias, marcenarias.

Setor Tercirio
- Comércio: varejista e atacadista.
- Serviços: hotéis, agências de viagem, agências bancárias, restaurantes, cinemas, hospitais, oficinas mecânicas, clínicas odontológicas, clínicas médicas.
Eventos
 Projeto Esporte Solidário (1º semestre do ano)
  Festa de Soltura de Quelônios (janeiro)
 Encenação da Paixão de Cristo (abril)
  Temporada de Festas e Ensaios dos Bois Bumbás – Garantido e Caprichoso (abril à maio)
 Festival Folclórico e Festival de Quadrilhas – Comunidade do Zé Açu – 12 à 30 de junho)
  Festival Folclórico de Parintins (28 à 30 de junho)
 Festa de Nossa Senhora do Carmo – Padroeira do Município (12 à 16 de julho)
  Festival de Pesca do Peixe Liso – Comunidade do Paraná do Espírito Santo (agosto)
 Festival de Verão do Uaicupará (setembro)
  Festival de Verão do Cabury (setembro)
 Festival Folclórico (junho)
  Festival de Música Sacra – FEMUSA (setembro)
 Festival do Beijú – Agrovila do Mocambo (setembro)
  Aniversário do Município de Parintins (15 de outubro)
 Festival de Pastorinhas (23 de dezembro)
 


  Anterior   |   Próximo   |   Voltar ao Índice   |
Visualizando Municípios: 62 total  


Copyright 2001-2014 © Biblioteca Virtual do Amazonas - Todos os Direitos Reservados.