Domingo, 20 de Abril de 2014
  
  Login
 



  |  Voltar  |
Visualizando Meio Ambiente  

 RECICLAGEM

É um processo industrial que converte o lixo, ou o resíduo descartado (matéria-prima secundária) em produto semelhante ao inicial ou outro. Reciclar é economizar energia, poupar recursos naturais e trazer de volta ao ciclo produtivo o que é jogado fora. A palavra reciclagem foi introduzida ao vocabulário internacional no final da década de 1980, quando foi constatado que as fontes de petróleo e outras matérias-primas não renováveis estavam e estão se esgotando. Atualmente, é considerada como um método de recuperação energética, que de acordo com este conceito pode ser classificada como:
• Máximo índice de recuperação – são enquadrados todos os materiais que poderão ser novamente utilizados, sem qualquer beneficiamento industrial, exceto lavagem e eventual esterilização. Exemplo: garrafas inteiras de refrigerantes ou de cerveja;
• Médio índice de recuperação – é necessário proceder algum tipo de beneficiamento industrial ao produto recuperado a fim de transformá-lo novamente em material reutilizável. Exemplos: cacos de vidro, metais e embalagens de plástico;
• Recuperação biológica – refere-se a uma particularização do caso anterior, médio índice de recuperação, só que se tratando das frações orgânicas do lixo. Ë o caso da produção de adubo orgânico e da obtenção de combustível gasoso (metano);
• Baixo índice de recuperação – está inserido o aproveitamento do poder calorífico dos materiais combustíveis presentes no lixo, mediante sua incineração. Exemplo: quando há a queima de um saco plástico, a energia liberada é menor que a utilizada no seu processo de fabricação, desde a matéria-prima (petróleo) até o produto acabado (saco plástico).

Os processos de seleção e recuperação de materiais recicláveis presentes no lixo podem ser instalados de forma isolada ou associados entre si, como por exemplo:

• Manual – consiste na catação executada por trabalhadores ao longo de uma esteira transportadora, em uma mesa de madeira ou concreto ou mesmo no chão. Este é o processo que apresenta maior eficiência e até hoje não foi registrada nenhum prejuízo à saúde dos catadores, além de que os equipamentos de segurança necessário serem práticos e relativamente baratos, se resumem a uniforme, botina e luvas;
• Peneiramento – consiste na classificação dos subprodutos em função do tamanho através de peneiras rotativas ou vibratórias em plano inclinado;
• Separação gravimétrica – efetua-se em função da diferença de massa entre os subprodutos utilizando-se esteiras oscilatórias inclinadas, separadores balísticos ou por ricochete;
• Separação Magnética – consiste na separação do material ferroso existente no lixo através de extrator eletromagnético ou tambor (também chamado polia) magnético;
• Classificação ótica - - processo realizado por via úmida e corrente elétrica induzida, sendo em sua maioria procedimentos sofisticados e caros.

Vantagens da Reciclagem

Existem inúmeras vantagens para se reciclar os resíduos dentre as quais:
• Proteção e conservação dos recursos naturais;
• Geração de empregos, através da criação de indústrias recicladoras;
• Economia de energia;
• Redução da poluição do ar, atmosférica e das águas;
• Diminuição da quantidade de resíduos a ser aterrado;
• Aumento da vida útil do aterro sanitário, dentre outras.





Curiosidades sobre a Reciclagem:

• No Brasil mais de 60% do lixo coletado é constituído por restos vegetais, mais apenas 1,5% desse total é reaproveitado como fertilizante agrícola.
• Pesquisa realizada pela Universidade de Brasília (UnB) definiu nova utilização para os filtros de cigarros (bitucas) já fumados que antes iriam parar no lixo agora servem como matéria-prima para a produção de papel.
• Uma equipe de engenheiros de alimento da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) desenvolveu um biofilme comestível a partir da farinha de amaranto (planta que ocorre na América Latina e muito consumida no Peru) que pode ser utilizada como embalagem comestível, com elevada qualidade protéica e alta concentração de carboidratos, além de ser um produto mais barato do que as tradicionais embalagens de plástico sintético.
• Um pneu após ser reciclado pode ter diversos tipos de utilização podendo ser usado como combustível alternativo para fornos de indústrias de cimento e caldeira, em substituição ao carvão ou ao óleo (por possuir poder calorífico superior), com tubulação de água pluvial (após ser picotado), como composição de asfalto modificado (após ser fracionado em pó), como isolante térmico e acústico (na construção civil), os chamados diagonais ou convencionais são utilizados em solados de sapatos, cintas de sofás, borrachas de rodos e pisos esportivos, bem como em outros objetos.
• O índice de reciclagem de latas de alumínio no País atingiu a marca de 78% em 2000, o segundo maior do mundo, superado apenas pelo Japão, determinado a expansão de um setor quase sempre marginalizado na economia, mas que movimenta volumes e valores respeitáveis: o da coleta e comercialização de sucata.
• A questão da reciclagem de óleos lubrificantes usados ganha cada vez mais espaço no contexto da conservação ambiental. Nos países desenvolvidos, a coleta de óleos usados é geralmente tratada como uma necessidade de proteção ambiental. Na França e na Itália, um imposto sobre os óleos lubrificantes custeia a coleta dos mesmos. Em outros países, esse suporte vem de impostos para tratamento de resíduos em geral. Nos Estados Unidos e Canadá, ao contrário do que ocorre no Brasil, normalmente é o gerador do óleo usado quem paga ao coletor pela retirada do mesmo.
• Se o País reciclasse todas as latas de aço que consome, seria possível evitar a retirada de 900 mil toneladas de minério de ferro por ano e economizaria energia equivalente ao consumo de quatro bilhões de lâmpadas de 60 Watts.
• O isopor pode ser considerado um produto ecológico, já que não contamina o solo, a água e o ar são 100% recicláveis e reaproveitáveis.
• A cidade de São Paulo produz mais de 12.000 toneladas de lixo por dia, com este lixo, em uma semana dá para encher um estádio para 80.000 pessoas.
• Se toda água do planeta coubesse em um litro, a água doce corresponderia a uma colher de chá.
• Somente 37% do papel de escritório é realmente reciclado, o resto é queimado. Por outro lado, cerca de 60% do papel ondulado é reciclado no Brasil.
• Um litro de óleo combustível usado pode contaminar 1.000.000 de litros de água.
• Menos de 50% de produção nacional de papel ondulado ou papelão é reciclado atualmente, o que corresponde cerca de 720 mil toneladas de papel ondulado. O restante é jogado fora ou inutilizado.
• Pesquisas indicam que cada ser humano produz, em média, um pouco mais de 1 quilo de lixo por dia. Atualmente, a produção anual de lixo em todo o planeta é de aproximadamente 400 milhões de toneladas.
• De acordo com a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico - PNSB - 1989, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE - e editada em 1991, a disposição final de lixo nos municípios brasileiros assim se divide: 76% em lixões; 13% em aterros controlados e 10% em aterros sanitários e 1% passam por tratamento (compostagem, reciclagem e incineração).
• Índices de reciclagem no Brasil, mostram que:
  - Capitais em que há catadores nos lixões: 37,4%
  - Cidades com mais de 50 mil habitantes: 68,18%
  - Cidades com menos de 50 mil habitantes: 31,67%
  - Capitais em que há catadores nas ruas: 66,67%
  - Cidades com mais de 50 mil habitantes: 63,64%
  - Cidades com menos de 50 mil habitantes: 31,67%
  - Capitais com lixões: 25,93%
  - Cidades com mais de 50 mil habitantes (excluídas as capitais): 72,73%
  - Cidades com menos de 50 mil habitantes: 66,67%
• Na natureza o isopor leva 150 anos para ser degradado, conforme estimativas. Na natureza, pelotas de isopor são confundidas com organismos marinhos, como o plástico, e ingeridas por cetáceos e peixes, afetando-lhes o sistema digestivo.

 

  |  Voltar  |
Visualizando Meio Ambiente  


Copyright 2001-2013 © Biblioteca Virtual do Amazonas - Todos os Direitos Reservados.